Cave

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ir em baixo

Cave

Mensagem  The Dead em Ter Set 15, 2015 6:29 am



Cave
Uma sala recreativa que possuí diversos jogos, um bar próprio, sofás macios e uma bela decoração. É um ótimo local para se passar o tempo ou até mesmo estudar.l"
COPYRIGHT 2014 - ALL RIGHTS RESERVED FOR SOPH


Última edição por The Dead em Ter Out 13, 2015 7:09 pm, editado 1 vez(es)
The Dead
The Dead

Mensagens : 416
Moedas : 4109
Data de inscrição : 12/01/2015

Ficha do personagem
Nível:
Grupo:
Raça:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Luuk Bordeaux em Ter Out 13, 2015 5:43 pm





...
...
...


Sem salário, sem paciência para sair da fundação, e mais importante ainda, sem um propósito dentro da organização. Certo, eu e Fenton havíamos sido trazidos para cá por motivos claros, mas fora isso, éramos apenas completos estranhos ao resto da instituição. A Cave, um espaço de convivência dos Centurions era o único espaço da Amalgama em que realmente me sentia parte de um meio social, mesmo sem ter interações maiores, porque me lembrava tanto meu emprego quanto a sala de espera do bordel em que morei meus dez primeiros anos em Amsterdã, então lá eu passava a maior parte do tempo — quando não estava com ele ou em aula.
Ir para lá depois de um banho e duas borrifadas de Baiser Volé atrás das orelhas, com os cabelos ainda molhados, levando um livro de poesia aleatório ou mesmo alguns mangás comprados de um revisteiro oriental no caminho para o metrô de Nova York era minha rotina, porém nessa noite não havia nenhuma leitura em especial que me interessasse. A sensação de enfado me permitiu ir ao bar, onde algumas pessoas se aglomeravam em um burburinho infeliz e olhar nos olhos de um garoto que se sentava em cima do balcão onde deveriam ser preparados os drinks.
— Excusez-moi... Poderia tirar sua bunda daí? Preciso cortar uns limões...
Fui pegando limões e uma coqueteleira enquanto ele se levantava, muito provavelmente contra sua vontade e sem entender o que se passava, se dirigindo ao outro lado do balcão.
Uma dose de sake, outra de triple sec, mais um pouco de suco de oxicoco e dois limões espremidos depois do meu pequeno truque, em alguns segundos já tinha meu Zentini bem batido com gelo na coqueteleira.
Despejei em duas taças de Martini e ofereci uma ao cara que havia expulsado da bancada, apenas para não parecer mal agradecido.
— Merci...
Depois disso fui me sentar por entre os sofás, sorvendo aos poucos aquela delícia enquanto observava os hábitos naturais  de jovens quais eu poderia ser parecido, se meu pai não fosse alguém tão radical com suas escolhas patéticas.

Bordeaux
thanks rapture
Luuk Bordeaux
Luuk Bordeaux

Mensagens : 13
Moedas : 2582
Data de inscrição : 04/10/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  MorpH em Ter Out 13, 2015 6:57 pm

CAVE

SHAW
JEFFSTER
18 YEARS
Allu
mian
ZUTYX
Eu não sabia exatamente o que esperar dali, decidi tirar aquela parte da noite para simplesmente explorar a consagrada instituição da qual eu fazia parte e afinal queria reparar mais naqueles que estavam lá dentro e o que havia de diferente entre eles, coisa mesmo da minha cabeça perturbada. Era mais um dia cansativo de estudos para mim que havia se encerrado, e me descontrair como qualquer estudante deve fazer parte da minha vida agora.

Eu estava vestido mais uma vez como um desarrumado e desengonçado qualquer do colégio, minhas roupas eram velhas e eu não importava, pelo menos estava me considerando um pouco cheiroso para me encontrar com outros indivíduos, estava com uma blusa social branca abotoada por baixo de um suéter na coloração do meu grupo que no caso era roxo, usava uma calça marrom bem largada do começo da cintura até o final das minhas canelas e finalizando com um sapato de couro sem esquecer do óculos do meu pai, pra completar mais ainda meu visual de idiota. Eu carregava alguns livros comigo e ainda meu caderno que me acompanharia por todo meu ano letivo, os livros que eu carregava comigo eram didáticos e para nada mais que apuramento do meu conhecimento, eu não me considerava do tipo que realmente curtia ler entretenimento para mente pois minha vida já era uma bagunça única e uma aventura, eu diria.

Eu finalmente me adentrava ao local, minhas primeiras impressões foram ótimas, as pessoas pareciam bem calmas e apenas apreciavam seu tempo livre de aulas e professores tagarelando o tempo todo, o que me trazia uma ótima sensação do local pois assim eu poderia me sentir mais confortável sem me preocupar com engraçadinhos querendo tirar sarro do meu jeito de ser ou vestir. Elevei meu dedo do meio até o centro do meu óculos para encaixa-lo melhor no meu rosto, fazia isso a cada 2 minutos sempre que estava o usando, dei mais uns passos a frente para observar o local e o que eu poderia fazer por ali, até que sentei em um dos sofás aconchegantes que logo a frente se encontrava uma mesa que era rodeada por mais sofás, aquele lugar realmente me lembrava um café do "mundo" que eu deixei para trás. Ao me sentar dobrei minha perna sobre a outra como um real cavalheiro, no estilo James Bond, e observei por alguns minutos a movimentação no bar de rapazes que preparavam bebidas, conversavam e entre outras coisas, simplesmente dei de ombros e abri um dos livros que eu trouxe para minha leitura, agora estava bem distraído.





Thanks Evil Queen
MorpH
MorpH

Mensagens : 7
Moedas : 2546
Data de inscrição : 09/10/2015
Idade : 20

Ficha do personagem
Nível:
Grupo:
Raça:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Roxanne Zoldick em Ter Out 13, 2015 10:43 pm

Robótica
P
ercorria os dedos pálidos sobre o caderno onde havia acabado de finalizar a atividade passada por um dos professores. Aquilo não havia gasto 1/3 da minha noite, e eu me revirava na cama pensando no que poderia fazer.
Ficar parada me causava uma sensação horrível, era um desconforto tão grande que parecia que ganchos entravam nas minhas pernas e braçõs, e lentamente rasgavam meus membros de dentro para fora. Claro que era apenas uma sensação gerada pela Hiperatividade, mas saber disso não mudava muito a situação.
Rolei novamente pela cama me distraíndo pela imagem de um garoto voando pelo lado de fora do dormitório e acabei caindo da cama.
- Ta doido, é ? - perguntei para o garoto que eu havia conhecido na aula de robótica. Ele apontou para a janela e eu a abri.
- Não me assusta assim, caramba. Vou ficar com um galo.. - falo fazendo bico, mas depois dando um sorriso e me jogando na cama.
O garoto bonito de cabelos vermelhos me encarou por um momento e depois deu um sorriso besta.
- Tão dizendo que vai ter uma "festinha" na Cave.. - falou com um sorriso zombeteiro no rosto e logo depois saiu voando pela janela.
"Feeeeesta" pensei, já correndo para o guarda roupas e olhando para as roupas que eu havia levado para lá. Eu adorava festas, muita gente, música, risadas, eu só precisava ficar longe das bebidas... Com certeza precisava ficar longe das bebidas.
Corri os olhos pelas roupas, optando por uma saia preta e uma camiseta cor de rosa, que tinha as mangas transparentes. Calcei um tênis e amarrei o gabelo em forma de maria chiquinhas.
Segui do meu dormitório pelos corredores da Fundação. Ainda havia bastante gente por lá já que não era ainda muito tarde.
Desci até as masmorras e cheguei até a sede dos Centurions.
A Cave era decorada de vermelho e tinha um ambiente bem jovem, assim como muitos dos que estavam espalhados pelos sofás ou jogando sinuca. As pessoas ali não pareciam ser muito simpáticas, mas isso sempre era algo a se conquistar.
Entrei na Cave e fui até um dos fliperamas, adorava aqueles joguinhos, principalmente porque eu não perdia uma partida.

Roxanne Zoldick
Roxanne Zoldick

Mensagens : 42
Moedas : 3042
Data de inscrição : 27/02/2015
Idade : 27
Localização : NY

Ficha do personagem
Nível:
Grupo:
Raça: Mutante

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Victor R. Nijinski em Qua Out 14, 2015 12:32 am

Виктор Нижинский



A Academia era estranha e eu estava numa constante sensação de não saber o que eu estava fazendo ali, as vezes eu me remoía em minha cama em plena irritação forçando repetir para mim mesmo "É pelo bem do Luuk, ele merece um lugar para relaxar da sua vida complicada, ele merece tentar algo novo.", eu repetia isso para mim mesmo até me dar conta de outra coisa. Ele não precisa mais de mim. Agora o meu "humano" favorito não era mais uma criança interessante, ele deveria seguir o rumo de sua vida mortal enquanto ainda lhe tinha tempo, tentar uma vida em que pudesse ficar na companhia de seres mais próximos de seu plano.

Ainda assim me faltava coragem para aplicar tal ato em minha própria vida, olhando desse modo ou eu era um covarde ou um apaixonado e me recusava a ser ambos.

Ja não é mais tão cedo, eu ja não estou pensando muito mais sobre o que fazer com o meu futuro, apenas queria ter alguém para conversar e isso se resumia a apenas Luuk Bordeaux ja que até ali eu não tinha feito nenhuma amizade ou pelo menos me simpatizado com alguém. Usando uma calça jeans preta e uma grande camiseta roxa escura com um uma estampa do Taz (Looney Tunes) segurando uma placa de prisioneiro com uma cara de malvado, eu gostava da camiseta em especial porque fazia toda a baderna do mundo me soar cômica e infantil.

Não demorei muito mais, uma par de luvas sem dedo, uma corrente com uma miniatura de volante com uma caveira (Mad Max: Estrada da Furia) e um cachecol fechavam por fim as minhas vestes da noite, sem mais "enrolar" fui para a tal Cave que nunca tinha ido antes. Motivo? Eu sabia que Luuk adorava o lugar, era muito semelhante aos lugares que costumava trabalhar e segundo ele mesmo o lugar de importância de sua origem, por algum motivo o garoto de Amsterdã gostava viver num tipo de reprodução do seu passado.

O ambiente me era estranho, não que fosse ruim, mas confesso que ficava confuso entre definir o que ali me agradava ou desagradava, fui avançando com cautela olhando para cada um que estava no ambiente e no meu campo de visão e não foi muito difícil reparar onde Luuk se encontrava, com cuidado fui de forma discreta por de trás de onde ele estava, com o máximo de silencio que conseguia reproduzir me aproximei e eu era muito bom em ser invisível quando queria, apoiei meu braço no sofá e aproximei meu rosto do dele sem parecer romântico, apenas com intuito de soar como uma surpresa, sem olhar para ele colocando meu rosto paralelo ao dele falei:

- E ae meu loirinho favorito? - Logo depois virei meu rosto para olha-lo olho no olho. - A bebida esta boa? -

Finalizei sorrindo e ele... bonito como sempre.






"Um post meia boca para uma noite meia boca onde a unica coisa que importa e a torna um pouco melhor que outras noites é a sua presença."
Victor R. Nijinski
Victor R. Nijinski

Mensagens : 26
Moedas : 3057
Data de inscrição : 05/03/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Luuk Bordeaux em Qua Out 14, 2015 8:49 pm





...
...
...


Aos meus olhos tão acostumados ao vermelho da sala, um ponto roxo se movimentando pelo nosso tranquilo espaço de convivência poderia significar um pouco de carinho e uma boa conversa com meu amigo mais precioso. Rondei a sala em busca de seus cabelos platinados, porém tive uma decepção. Não era ele o Allumian que sentou-se ali, um pouco afastado do resto de nós, dando utilidade a seu tempo e quem sabe estudando algo útil para sua vida pessoal...
Logo haviam outros como uma garota com cabelos rosados e olhos grandes que parecia tão entretida com o fliperama que esqueceu de tudo ao redor, um garoto de cabelos vermelhos que achou a garrafa de sake no balcão e já estava flutuando um pouco mais alto do que deveria, e um burburinho chato vindo da panelinha lá no bar.
Beberiquei mais um pouco do coquetel e olhei mais uma vez os arredores, sem notar que outro rosto se punha paralelo ao meu...
— E ae meu loirinho favorito? — sorri de canto ao reconhecer a voz dele, surpreso por não ter notado a sua chegada embora observasse atentamente a sala por um bom tempo. — A bebida está boa? — E finalmente me dignei a responder-lhe a pergunta com um selinho, simples, vago e molhado como a minha bebida.
— Me diga você, mon cher... Vale a pena repetir a dose? — Falei num tom brincalhão, estreitando os olhos e dando espaço para que ele se sentasse ao meu lado, junto ao braço do sofá. Não esperava que ele desse continuidade ao selinho, mas ter alguém a quem abraçar, conversar e passar um tempo proveitoso me faria bem...
— Seus colegas decidiram invadir a Cave hoje? — Não contive um riso ruidoso, observando o ruivo voador bêbado dar de cabeça na lâmpada e derramar metade da garrafa de sake na saia curta de uma menina da Bastille, que esperneou violentamente e quase o acertou com uma estaca de energia luminosa, arrancando um grito de colegial dos lábios dele. Felizmente essas coisas aconteciam com frequência por aqui...

Bordeaux
thanks rapture
Luuk Bordeaux
Luuk Bordeaux

Mensagens : 13
Moedas : 2582
Data de inscrição : 04/10/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Roxanne Zoldick em Qua Out 14, 2015 9:59 pm

Robótica
A
bolinha do fliperama se movia assim que eu acionava os botões e mechia no momento certo as alavancas. Ela ia para um lado, para outro, e caía no local certo enquanto um barulho de sino tocava toda vez que eu fazia um ponto.
Aquilo era muito divertido, gostava de fazer a bolinha "Dançar" dentro do jogo antes de escutar o famoso "sino" anunciando que eu havia marcado mais um ponto.
- AAAAAAAAAAAAAE - gritei, dando pequenos saltos quando o jogo anunciou que eu havia batido o recorde. Olhei para o jogo de forma entediada.
Virei meu corpo para poder ver melhor o local, ficando de costas para o jogo e me apoiando nele. Vi alguns alunos dos Allumians lá, e outros dos Bastilles, mas ninguém que eu realmente conhecia.
Andei até um dos sofás, onde dois meninos estavam sentados (Luuk e Victor) e me sentei na poltrona que havia a frente deles.
- Vocês sabem quando essa festa começa ? - perguntei, olhando para eles e em seguida para o local, esperando que a música alta começasse logo.
Roxanne Zoldick
Roxanne Zoldick

Mensagens : 42
Moedas : 3042
Data de inscrição : 27/02/2015
Idade : 27
Localização : NY

Ficha do personagem
Nível:
Grupo:
Raça: Mutante

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Annath'Al Ghul em Qua Out 14, 2015 10:09 pm


Annath andava apressada em direção a Cave. A loira havia combinado com seu Dan e com Ayla mais cedo que procurariam algo para fazer, algo que não fosse tão entediante quanto as aulas, mas que não lhes trouxesse problemas.
A loira ainda pensava na ultima aula que havia assistido, a sensação incomoda que o Diretor Gabriel havia lhe proporcionado com aquele discurso ridículo na aula ainda lhe causava náuseas. Respirou fundo tentando retirar aquilo da cabeça e manter o mau humor controlado, coisa que estava se tornando cada vez mais difícil desde o inicio das aulas.
Passou pelo Hangar e em seguida adentrou a Cave. Seu olhar correu por todo o local e um bico se formou ao ver tanta gente que não pertencia aos Centurions lá.
- Mas quem abriu as portas do jardim de infância - reclamava consigo mesma, enquanto andava em direção a cozinha. Desatenta, Annath passou entre um jovem de cabelos vermelhos e uma garota que esperneava por algum motivo no momento que ela criava uma estaca luminosa para atingir o outro. Annath olhou para a menina e com um aceno das sua mão esquerda a lança foi convertida em água e molhou a menina.
- Quem te deixou fazer isso ? Ta querendo arrumar confusão ? - gritava ela na direção da loira, que com cara de poucos amigos apenas encarava a garota.
- Some daqui. - falou, enquanto seus olhos ficavam levemente vermelhos e ela controlava a mente da menina.
A jovem que antes gritava se afastou, passou pela a sala e saiu, enquanto Annath seguiu até a geladeira para pegar uma bebida.
Annath'Al Ghul
Annath'Al Ghul

Mensagens : 38
Moedas : 2695
Data de inscrição : 13/09/2015

Ficha do personagem
Nível: Eta
Grupo:
Raça: Sobrenatural

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  MorpH em Qua Out 14, 2015 11:12 pm

CAVE

SHAW
JEFFSTER
18 YEARS
Allu
mian
ZUTYX
O lugar começava a se tornar meio agitado conforme se passava lentamente o tempo, e neste tempo eu apenas revirava mais e mais páginas de livros tentando me aprofundar nos assuntos repassados neste exato dia pelos professores, mas realmente era desanimador para mim, um novato ter que passar por aquilo e assim eu me sentia no ensino fundamental de novo, só não queria ter que passar pelos mesmos problemas porque aquela época me da nojo de mim mesmo, mas são apenas vagas e vazias lembranças.

Finalmente eu acabava de revisar tudo que eu deveria, ou que podia memorizar, e então fechava meu livro com toda calma do mundo pra não causar um barulho irritante, eu reparava que um rapaz ao longe me encarou quando eu entrei mas eu não entendia o porque ou o que ele esperava, nem me questionei por muito tempo sobre isso e naquele mesmo local se aglomeravam um pequeno número de estudantes que eu reconhecia apenas um por uma aula que frequentei com o mesmo e era o mesmo que havia me encarado a pouco. Nem pude muito reparar naquilo pois uma garota com um estranho jeito de caminhar e uma atitude superior entrava no local, e assim que bati o olho na direção dela sabia que a mesma era do tipo "problema", cruzei meus braços observando os movimentos da mesma ainda acomodado naquele sofá e não me enganei vendo que ela causava uma confusão com alguém.

— Problema, definitivamente devia ser o sobrenome desta ... - Eu não dava mais importância pra muita coisa sobre a sala, mas já que era algo completamente novo pra mim estar entre os superdotados do mundo, eu apenas decidir esgueirar meu corpo a frente apoiando o mesmo sobre meu pulso e ficar observando o comportamento deles e como eles interagiam, então primeiro focava meus olhos naquele pequeno grupo de pessoas e na garota problema que passou a pouco pela sala.





Thanks Evil Queen
MorpH
MorpH

Mensagens : 7
Moedas : 2546
Data de inscrição : 09/10/2015
Idade : 20

Ficha do personagem
Nível:
Grupo:
Raça:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Ayla Yakin em Qui Out 15, 2015 2:43 am



Ficar naquele buraco que o tal Gabriel havia arranjado pra equipe de alunos? No meio daquele matagal? Nem fodendo...  :try:
Desde a minha chegada à Fundação Amálgama, com uma bela indicação do Capitão América (que nem tinha sido pra mim, mas como um pedido do meu irmão), as coisas não tinham ido exatamente como eu esperava... Ser jogada numa equipe que era "orientada" por um cara que, sabe-se lá qual motivo, faz uma casa no meio do mato para os alunos:
"Que merda..." Penso, seguindo com o travesseiro e o livro embaixo do braço.
A camisa branca, larga, de mangas rasgadas, os shorts jeans de barras desfiadas, os All-Stars pretos, eram um tipo de vestimenta casual... Um pijama rapidamente improvisável. Chego na porta do lugar onde a outra equipe ficava... Era um tipo de sala de jogos, com uns lances de drinks legal, poltronas confortáveis, um lugar perfeito pra dormir. Sim, qualquer lugar era melhor do que a "cabana" que o tal professor tinha arranjado pra equipe que eu estava (e, como é óbvio, não foi escolhida por mim):
- E aí, pessoal... Cumprimento os presentes, entre eles dois garotos loiros (Luuk :mulher02: e Victor), Anna e o garoto que conversava (MorpH) com ela (:bobby:), uma garota estranha de cabelos coloridos (Roxette), enquanto me sentava em uma das poltronas mais afastadas...
Tiro os sapatos e as meias, colocando-os no canto perto da poltrona, reclinando-a pra trás e me ajeitando, após colocar o travesseiro na altura de minha cabeça no encosto:
- Fiquem à vontade... Eu vou fazer osmose com o livro... Falo para os dois, colocando o livro aberto sobre meu rosto... Era hora de tentar dormir...

-
""

Ayla Yakin
Ayla Yakin

Mensagens : 24
Moedas : 2675
Data de inscrição : 27/08/2015
Idade : 21
Localização : Nova York

Ficha do personagem
Nível: Delta
Grupo: Sem Grupo
Raça: Humanos

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Victor R. Nijinski em Qui Out 15, 2015 10:56 am

Виктор Нижинский




Sorri em resposta ao suave beijo de Luuk. Sentir seus lábios me fazia recordar do real motivo de estar lá, naquela academia e agora naquele lugar recreativo dos Centurion.

– Depende, a bebida está boa, mas passar o tempo com você é uma dose que eu adoro repetir. -

Falei em resposta ao primeiro comentário pulando o sofá (eu estava atrás dele) para me sentar ao lado do garoto de Amsterdã, depois ele logo comentou sobre o excesso de membros dos Allumian na caverna.

– Sinceramente não tenho ideia do que está acontecendo. Talvez o dia esteja bom para encher a cara e não tem lugar melhor do que aqui, se eu quisesse curtir uma noite calma e cheia de requinte eu ficaria nos Allumian e seu piano, ou se eu quisesse ficar num momento relax tem a cabana dos Vysenia, mas já que você está aqui. Aqui ficarei até que me canse do ambiente ou alguém me expulse, mas ai eu te arrastaria comigo. -

Falei de forma descontraída, nossa relação era confusa, num constante comportamento de amizade, porém com melhorias, atenção e carinho era algo comum e de vez em quando mais do que apenas carinhos, eu o amava, mas eramos namorados? A essa altura não importa, quando tivéssemos sozinhos gostaria de conversar melhor, só espero que isso não acabe soando uma D.R.

– Sabe. Você está gostando daqui? As vezes acho que a maioria dos alunos estão bastante... desinteressados, hoje de manha ouvi uma garota Allumian reclamando bastante sobre alguns professores... ah... sei la, será que a coisa está indo tao mal? Ou será que todo mundo aqui é tão mimado que se acham dignos de reclamar de tudo? Me sinto um tanto quanto... deslocado.

Falei em tom meio receoso, mas era verdade, eu já vivi uma guerra e já passei por tantos nuances dimensionais dessa mesma existência, vi maravilhas e desgraças épicas e agora convivo com adolescentes em crise. O quanto eu decai nesse tempo? Antes de que Luuk pudesse me responder (E eu esperava que ele me respondesse) uma menina do meu grupo apareceu, o cabelo colorido e o comportamento acelerado me fez questionar o que tinha acontecido para ela cair no time roxo da academia e se o critério de avaliação estava mesmo correto, ela destoava demasiado em relação ao resto de nós e parecia tao semelhante ao comportamento Bastille, mas talvez eu estivesse usufruindo de um juízo errado e avaliando de forma errônea uma garota que eu mal conhecia, um pouco triste pela interrupção, no entanto sem deixar transparecer respondi a indagação da peculiar menina.

– Eu não ouvi falar sobre festa alguma, eu juro. Meu objetivo aqui era encontrar meu amigo, mas se tu estiver correta, lhe desejo uma ótima noite, parece empolgada.-

Falei sorrindo, no entanto sem muita brecha para prolongar a conversa, tentava não ser grosso e até mesmo esboçando algum tipo de cuidado ao falar com ela, medindo uma simpatia mediada. É que eu queria muito concluir o que queria falar com Luuk sem que a menina fosse embora, meu intuito não era a antipatia e nem que ela se afastasse, talvez fosse interessante ter mais alguém ativo no ambiente só torcia poder também dar a atenção devida para aquele que de fato era meu foco naquele lugar.

Antes que ela me respondesse ou sequer Bourdeaux se pronunciasse fomos atravessados por uma ruiva que foi para o poltrona próxima e começou a ler um livro. Ela nem “cheirava nem fedia”, seu comportamento de nada alterava o ambiente, então não dei atenção porque ela não estava fazendo nada de interessante para recebê-la mesmo, apenas cuidando da sua própria vida.










Victor R. Nijinski
Victor R. Nijinski

Mensagens : 26
Moedas : 3057
Data de inscrição : 05/03/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Annath'Al Ghul em Qui Out 15, 2015 9:46 pm


Annath havia aberto a geladeira e pego uma cerveja, a abriu com certa dificuldade e depois voltou para o local onde haviam várias poltronas, sofás e pufes.
Deu uma olhada pelo local, reparando que um garoto de roupas roxas a encarava. Franziu o cenho e deu de ombros.
"Você quer diversão, não confusão." Annath começou a levitar até que se sentou sobre o balcão que ficava bem a frente da área onde o pessoal estava. Ao dar um gole na bebida, viu Ayla passando despreocupadamente.
"Como sabe ser folgada" pensava, entortando levemente o pescoço ao vê-la jogar cumprimentar a todos e colocar um livro sobre o rosto. Com um sorriso sacana no rosto e um aceno com a mão direita, Annath recitou um feitiço curto, numa língua que ninguém ali conhecia, vendo em seguida o Livro de Ayla se transformar em um filhote de gato.
A loira riu alto ao ver a reação da amiga. - Sabia que está cedo pra dormir ? - ela ria, passando seu olhar novamente por todos no local, parando um segundo sobre os alunos dos Allumians. Victor, MorpH e Roxanne.
Annath'Al Ghul
Annath'Al Ghul

Mensagens : 38
Moedas : 2695
Data de inscrição : 13/09/2015

Ficha do personagem
Nível: Eta
Grupo:
Raça: Sobrenatural

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Luuk Bordeaux em Sex Out 16, 2015 1:07 am





...
...
...


Visto que meu platinado favorito se sentou ao meu lado, encostei a cabeça no ombro dele e tratei de ficar bem à vontade, respondendo a suas indagações preocupadas:
— Comparado ao treinamento de campo da armada britânica, isso aqui ainda não me impressionou... Mas algumas aulas extras conseguiram me chocar bastante... Acho que para alguns dos nossos colegas é mais difícil lidar com experiências diferentes nos primeiros momentos.
A garota de cabelos rosados que havia observado mais cedo, qual jogava fliperama com mais empenho do que muitos dos alunos tinham nas próprias lições, se aproximou de nós e perguntou sobre uma possível festa planejada pelos meus convivas... Não que eu fosse desenformado, mas dessa vez fui pego de surpresa, sem saber de nada sobre o assunto:
— Hm... Não sei ao certo, mas acho que já tem bastante gente aqui... Acho que só falta uma música para o pessoal se soltar de vez.
Falei, com os olhos semicerrados, aconchegado junto ao corpo de Victor, embora não perdesse a garota de vista.
Nesse momento, uma garota bonita de cabelos ruivos (Ayla de xuxu :bobby:) nos cumprimentou rapidamente, se aconchegou numa poltrona e, tendo coberto o rosto com um livro, começou a cochilar, até que o livro do nada se transformou num gatinho (:zoi:)...
Meu olhar se dirigiu à garota que se aproximava da poltrona, qual não parecia exatamente a mulher mais sociável no salão, que lançou um olhar analítico e frio em nossa direção... Soube que o olhar não era direcionado a mim quando nossos olhos não se encontraram, mas não poderia dizer o mesmo quanto à garota rosada e meu Fenton... Ela parecia uma Leoa ávida por sangue novo, mas que se mantinha comedida talvez por falta de motivos para dar o bote, meus instintos primais me diziam para ter cuidado.
Minha mão procurou a de Victor e a agarrou ternamente, para quem sabe dar um apoio moral contra o olhar de estranhamento da minha conviva. Olhei para a outra Allumian, com uma expressão gentil no olhar e falei, tentando inclui-la na conversa e com sorte fazer uma amizade aqui dentro:
— Pardonnez-moi... Esqueci de me apresentar! Sou Luuk Bordeaux. Como se chama, chérie?

Bordeaux
thanks rapture
Luuk Bordeaux
Luuk Bordeaux

Mensagens : 13
Moedas : 2582
Data de inscrição : 04/10/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Ayla Yakin em Sex Out 16, 2015 2:35 am



- Não tem horário pra dormir... Falo para Anna, colocando o filhote de gato, que era livro há minutos atrás, pra andar sobre minha barriga...
A situação não era ruim, na noite anterior, tinha dormido na torre dos Bastilles, o centro de convivência tinha sofás confortáveis e o lugar que eles chamavam de shelter, não era nada ruim durante a noite... Outro lugar confortável era o escritório do dr. Romazzi... Era meio espartano, prático, mas o sofá era relativamente confortável, tirando aquele gato chato, mas tudo bem, ele não vai voltar se jogar ele do lado de fora... O Lounge dos Bastilles também era um ambiente legal, o ar de piano bar era agradável, e pelo menos não havia restrição, dava pra passar a noite escondida no meio das poltronas... Outro dia, o único lugar que tinha conseguido arrombar era a cozinha e, bom, foi lá mesmo:
- Não quando o diretor da sua equipe te enfia num buraco no meio do mato... Só você ficaria bem naquele lugar, não é mesmo? Falo para Anna, enquanto alisava a cabeça do filhote sobre minha barriga direcionando minha última pergunta para ele, sem esperar uma resposta...

-
""

Ayla Yakin
Ayla Yakin

Mensagens : 24
Moedas : 2675
Data de inscrição : 27/08/2015
Idade : 21
Localização : Nova York

Ficha do personagem
Nível: Delta
Grupo: Sem Grupo
Raça: Humanos

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Roxanne Zoldick em Sex Out 16, 2015 10:54 am

Cave
U
m dos garotos havia me respondido tão formalmente que não pude deixar de estranhar, além de sua aparência estranha, ele também agia como se precisasse ter cautela o tempo todo, o que fazia com que parecesse forçada sua atitude de simpatia, comigo e com o resto.
Sorri de canto e antes que eu pudesse responder outras meninas se aproximaram, uma delas parecia ser bastanta simpática, meus olhos brilharam ao ver o livro se transformar em gato sobre o rosto dela. "Que coisinha mais linda" pensava, tentando conter o impulso de pega-lo para brincar.
A loira que havia se aproximado por último não tinha cara de muitos amigos, seu olhar era tão frio que me fez encolher no sofá, como se inconscientemente eu tentasse fugir dele. Dei um sorriso para ela, demonstando que havia repado na atitude dela e tendo minha atenção roubada novamente.
O outro garoto loiro me respondeu, comentando que talvez bastasse uma música para transformar aquilo em uma festa, e isso me trouxe uma ideia, antes que pudesse acessar a interface do lugar, ele se apresenta e com um sorriso de criança o respondo:
- Luuk, nome legal. Sou Roxanne Zoldick, mas pode chamar de Proxy. - falava para ele, movendo os dedos da mão esquerda como se estivesse digitando em um teclado invisível.
Eu guardava a informação que obtinha em meu banco de dados, e seguia para a rede de controles do local, alguns segundos depois e tchãnãaan..
- PLEASE DON'T STOP THE MUSIC - começava a tocar pelo alto falante da Cave, alguns alunos estranhavam aquilo, mas minutos depois pode-se dizer que a grande maioria já havia entrado no clima da festa.

Roxanne Zoldick
Roxanne Zoldick

Mensagens : 42
Moedas : 3042
Data de inscrição : 27/02/2015
Idade : 27
Localização : NY

Ficha do personagem
Nível:
Grupo:
Raça: Mutante

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Victor R. Nijinski em Sex Out 16, 2015 1:19 pm

Виктор Нижинский




Luuk sabia ser simpático e foi assim que ele abordou a moça e também me respondeu, ele estava correto pela sua observação em relação a Amalgama e eu sabia muito bem pelo que ele havia passado e, pelo menos, ele não estava tratando a academia com demasiado menosprezo e isso significava que talvez houvesse esperança dele ficar ali ainda tentando aproveitar alguma coisa.

Não tardou muito para que uma moça loira atravessasse a conversa e fosse atrapalhar a ruiva que estava tentando relaxar, demorou algum pouco tempo até que eu a reconhecesse como a menina do Baile, é que a roupa dela no dia cobria a maior parte de sua aparente identidade. A ignorei e por algum motivo que eu não entendi as duas acabaram por levar um tipo de “evento social paralelo” tao próximo de nós o que acabava por atrapalhar o início de uma conversa que tentávamos ter, essa ação começou a fazer com que eu acabasse cogitando que o comportamento delas fosse algum tipo de “sai daqui que o lugar é nosso”, no entanto, como não houve nenhuma interação comigo ou com aqueles que comigo socializavam acabei não me interessando muito no que elas faziam. O livro havia sido transformado num gato, o ignorei também.

A empolgação da moça era interessante, depois de algum tempo comecei a admirá-la enquanto ao mesmo tempo senti uma leve pontada de inveja, uma boa inveja, ao mesmo tempo que gostava do jeito dela o seu comportamento acabava por me deixar ainda mais retraído e talvez tímido perante a coisa toda que acontecia ali então me encolhi um pouco mais no sofá e talvez sem notar me aproximei de Luuk numa tentativa irracional de me sentir mais seguro, meu olhar também não mais focava os olhos de ninguém, tentei fugir dali olhando para o solo próximo a mim até que (como minha colega se referiu) “tchãnãaan” uma música surgiu no ambiente, imediatamente levantei a cabeça tentando entender o que havia acabado de ocorrer e com um pouco de lógica imaginei que isso era a obra da moça de cabelos pintados que pelo que havia se apresentado para o garoto de Amsterdã, se chamava Roxanne Zoldick, ou Proxy, foi por este segundo nome pude enfim finalizar a ligação de lógica com um programa de computador, logo a música devia ser obra dela.

Esbocei um sorriso discreto quando comecei a ouvi-la e tomei um pouco mais de coragem para me apresentar a uma figura que bastante destoava da minha, aproveitando que o som ainda não se apresentava a um volume muito alto.

– Meu nome é... - Me interrompi tentando imaginar qual dos nomes seriam mais aplicáveis ali. Victor, mas pode me chamar de Void. -

Falei com um sorriso enviesado no canto do rosto e voltando a relaxar no sofá próximo a Luuk.













Victor R. Nijinski
Victor R. Nijinski

Mensagens : 26
Moedas : 3057
Data de inscrição : 05/03/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Annath'Al Ghul em Sex Out 16, 2015 7:33 pm


Annath deu de ombros com o comentário da amiga. Quando uma música começou a tocar a loira olhou para cima e cantos, procurando da onde vinha o som. Mirou nos altos falantes próximos ao teto e viu que não havia nada que os ligasse por ali, ou seja, não havia como colocar músicas neles. Franziu o cenho ao pensar que aquilo poderia ser obra de outro aluno, a loira não estava acostumada a ver outros usando magia, exceto Dan, e para ela, aquilo não poderia ser outra coisa além de magia.
Deu de ombros, saltou do balcão e andou até onde aquele "grupinho" estava, sem encarar ninguém em especial.
- Ao contrário de você, eu transformaria aquele lugar do meu castelo e não ficaria por ai sofrendo pelos cantos. - falou calmamente, sentando-se em uma das poltronas ao lado de Luuk.
"Então, vamos conhecer esses novatos para ver se alguns deles seria bom o suficiente para entrar no lugar da Abigail" pensou, comunicando-se mentalmente com Ayla, que estava próximo a ela. Alguma coisa parecia estranha aos olhos da loira, os alunos pareciam estranhos... Talvez fosse por causa da música. Aguardou que a conversa entre eles desse uma trégua, o jovem que havia "lhe ajudado" na festa era um dos que estavam lá, e se apresentava como Victor.
- Nem todos vocês são dos Centurions, né ? - falou arqueando uma das sobrancelhas e dando um sorriso que surgia no canto dos lábios.
- Porque estão aqui ? -
A ultima pergunta não havia sido como todas as outras falas de Annath, não havia uma ameaça velada nela, era apenas uma simples pergunta, de uma garota que por alguma razão parecia tentar conversar com pessoas estranhas. Para Annath, chegar perguntando porque um grupo de alunos que não era daquele grupo estava ali não era rude, era uma pergunta como qualquer outra, e esperava que todos entendessem da mesma forma.

"" -

Annath'Al Ghul
Annath'Al Ghul

Mensagens : 38
Moedas : 2695
Data de inscrição : 13/09/2015

Ficha do personagem
Nível: Eta
Grupo:
Raça: Sobrenatural

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Dan'Al Ghul em Sab Out 17, 2015 8:23 pm

Emperador Yin
Andando em direção ao dormitório dos Centurions, ouvi música e dançando de formas disfarçadas no caminho, não me preocupo muito, dando uns pulinhos e umas mexidinhas discretas eu vou caminhando...

Enquanto dançava com fones altos deixava alguns versos escaparem sem querer numa música que ficava se repetindo constantemente no meu celular. Esse sorriso perdido, traga de volta 1996, traga de volta 1996”Naquele momento a alegria chegava a me transbordar, eu não sabia o porquê. Só sabia que deveria falar para minha irmã.

Enquanto chegava a entrada da torre todo sorridente não me dava conta de tudo que acontecia ao meu redor, mas conforme eu me aproximava da The Cave, sentia algo mudando no ar, um pressentimento, mas conforme eu me aproximava da minha irmã eu conseguia sentir nossos sentimentos mesclando-se.

Respiro fundo antes de entrar na Cave, entro cantando baixinho com os fones no volume máximo, as pessoas por perto podia ouvir a música baixa, enquanto a mim, a ouvia no máximo. Usando passeios ao parque de diversões apenas para provocar os seus sorrisos. Quando entro me deparo com muitos alunos, nem sei se todos são Centurions.

– O que... – Falo pausadamente, reviro os olhos, dou uma examinada no local e termino. – Tá pegando aqui? –


Não os deixe entrar, não os deixe ver, Seja um bom menino que você sempre precisou ser
credits ‹›

Dan'Al Ghul
Dan'Al Ghul

Mensagens : 7
Moedas : 2607
Data de inscrição : 06/09/2015

Ficha do personagem
Nível: Epsilon
Grupo:
Raça: Sobrenatural

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Ayla Yakin em Dom Out 18, 2015 1:59 am



A coisa não era tão simples... Na verdade, seria relativamente simples transformar o "barraco" dos Vysenia num lugar particular, mas me faltava a paciência de fazer isso:
- Não, por três motivos... Primeiro, porque ninguém faz um castelo em cima de uma armadilha em potencial... Falo para Anna, brincando de aviãozinho com o filhote de gato... - Tem que ser muito inocente, ou distraído pra se enfiar num buraco enterrado no meio de um matagal, sabendo que o "chefe" do lugar manipula plantas... Continuo, ajeitando a poltrona pra ficar na posição correta, colocando o filhote pra se equilibrar no braço do móvel... - Segundo, porque eu não gosto de demagogos contraditórios... Ele dizer que quer uma equipe de sobreviventes e "espertos", esperando que algum deles vá ficar num espaço que ele delimitou, num território que ele conhece, com um elemento que ele domina? Só pode ser uma piada de mau gosto... Falo rindo, enquanto cutucava o filhote, que estava com as patas e a barriga pra cima (:gato03:)... - E o terceiro, e mais importante... Faço um certo suspense, me levantando da poltrona com o filhote de gato na mão... - Odeio cheiro de mato... E quero ver quem é que ficaria lá, depois de perceber tudo isso... Concluo falando para todos, com uma certa ironia, colocando o filhote de gato no cabelo de um dos garotos no sofá próximo, o que tinha se apresentado como Victor...
Vou até a geladeira, procurando alguma coisa pra tomar, de preferência com algum teor alcoólico, até ouvir Anna falando direto em minha mente... Não era uma sensação agradável, mas por uma questão de privacidade. Se havia algo que tinha pleno controle, era minha própria mente:
"Não sei... Seria melhor procurar alguém pra acrescentar alguma coisa no grupo, não pra substituir. Se formos substituir, nenhum vai ser suficiente..." Penso, sendo totalmente sincera e pegando uma cerveja próxima ao congelador...
Me encosto no balcão das bebidas, observando todos os presentes na sala, abrindo a cerveja e tomando um gole:
- Parece que é uma festa... Falo para Dan, que havia acabado de entrar...
Discretamente, prestando atenção a todos que estavam ali presentes para garantir que ninguém perceberia, deslizo minha mão por cima do balcão em um movimento simples, ocultando um abridor de garrafas entre meus dedos e guardando-o no bolso... A sensação de alívio, acompanhada da adrenalina era algo inebriante, imperceptível para os outros...

-
""

Ayla Yakin
Ayla Yakin

Mensagens : 24
Moedas : 2675
Data de inscrição : 27/08/2015
Idade : 21
Localização : Nova York

Ficha do personagem
Nível: Delta
Grupo: Sem Grupo
Raça: Humanos

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Luuk Bordeaux em Seg Out 19, 2015 1:35 am





...
...
...


Roxanne se mostrou uma pessoa energética e com poderes bem interessantes. Apesar de já ter visto muitos alunos fazendo coisas que qualquer outro ser humano normal raramente conseguiria, aquilo era uma novidade. Me senti tentado a mostrar também, talvez por efeito do sake ou de alguma droga dissolvida nas bebidas, um pouco do que eu era capaz de fazer com meu charme natural, induzindo os outros a fazerem minhas vontades mais infantis, e até passarem por tontos com uma ordem ou duas.
Bebi o restante do coquetel e coloquei a taça em cima da mesa, enquanto a garota loira que encarava meus colegas, abandonava a conversa com a sua amiga e, enquanto aquela colocava um filhote de gato no cabelo do meu namorado e partia para o bar, esta sentava ao meu lado com uma expressão amena, um tanto sociável.
[color=red]— Bien... Eu estou de folga, ele veio por mim e ela veio pela festa do pessoal ali... Acho que é isso.[color=red]— Tomei partido e respondi por todos, já que estava me sentindo especialmente comunicativo e muito carismático na ocasião. Normalmente, só mostraria esse carisma ao meu platinado, naturalmente, e aos clientes do bar, já que o dinheiro paga meus sorrisos, mas havia algo de esquisito nesse grupinho que se formava ao redor da mesa de centro que certamente agradava meu subconsciente... Talvez fosse a hora de fazer algo divertido, quem sabe perturbar a paz dos bacantes barulhentos do outro lado da sala, só pelo "shock value" da coisa. Observei o bar, onde um garoto segurava uma garrafa de vodka inteiramente cheia. Nossos olhos se encontraram, e nesse momento a vontade dele se perdeu, enquanto o chamava com o dedo indicador.
— Mon cher, acho que você já bebeu demais e deveria ir dormir. Me dê essa garrafa e tire um cochilo ali no canto... — Sorri satisfeito enquanto recebia a garrafa e tramava um joguinho para divertir nossa noite. — Então... O que acham de juntar mais algumas pessoas para beber e sacanear os bagunceiros dali? Oui... Boca da garrafa, bebe uma dose, fundo, tem que fazer outra pessoa pagar um mico daqueles... (:hahaha:)
Propus, colocando a garrafa sobre a mesa de centro e tombando a cabeça junto ao ombro de Victor, que muito provavelmente não acataria à minha ideia de primeira... Era uma sugestão maldosa, mas que poderia sim nos render novas amizades e apagar um pouco do nosso deslocamento social dentro da Amalgama.

Bordeaux
thanks rapture
Luuk Bordeaux
Luuk Bordeaux

Mensagens : 13
Moedas : 2582
Data de inscrição : 04/10/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Roxanne Zoldick em Seg Out 19, 2015 2:21 am

Robótica
A


O garoto de cabelos platinados se apresentava para Roxy logo em seguida, a música que havia começado a tocar era alegre e divertida, mas não chegava a atrapalhar a conversa dali.
- Prazer em conhecê-los - falou com um sorriso contagiante, observando as duas meninas conversarem.
A loira que encarava todo mundo havia demonstrado um talento para magia, e Roxy fazia questão de anotar tudo mentalmente, ainda movendo os dedos como se digitasse em um teclado virtual.
Antes que a conversa continuasse, a loira sem muita cerimônia atravessou no meio da conversa, perguntando se todos era Centurions e porque estavam ali. Roxy chegou a abrir a boca para responder mas a fechou na hora que Luuk falou por todos ali.
Um outro garoto se aproximava, aos olhos de Roxy ele era bonito, mas por algum motivo lembrava muito a loira sem modos que estava próximo a ela.
- Bem, eu deveria estar lá, mas acho que me colocaram em uma pegadinha. Quem me chamou não está ali e pelo jeito deles duvido que estivesse - comento, mais para si do que para todos os outros, sorrindo ao escutar as palavras de Luuk sobre brincar.
- Um jogo - falou animada, dando pulinhos onde estava sentada e batendo as mãos como uma criança que acaba de ganhar um presente.
Não era de sua índole querer sacanear ninguém, e a opção bebida poderia dar extremamente errado, mesmo assim, aquilo tinha cara de ser divertido e Roxy não precisaria "sacanear" realmente, pregar uma peça pequena já seria util.
- Eu começo - saltou de onde estava sentada e colocou os joelhos no chão, pegando a garrafa que estava nas mãos de Luuk e rodando ela sobre a mesinha de centro.

[/size]
Roxanne Zoldick
Roxanne Zoldick

Mensagens : 42
Moedas : 3042
Data de inscrição : 27/02/2015
Idade : 27
Localização : NY

Ficha do personagem
Nível:
Grupo:
Raça: Mutante

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Victor R. Nijinski em Ter Out 20, 2015 1:01 am

Виктор Нижинский



Sentado no sofá, pouco conseguia dar atenção ao que acontecia ao redor, tentava prestar atenção na música e ao mesmo tempo no que era falado ao meu redor, eu pude notar Ayla criticando compulsivamente a construção do professor Gabriel, o que ela falava me fez pensar que em quase toda a academia havia plantas, desde muitas das salas recreativas a quartos, plantas nasciam em diversos lugares da "escola" e se o representante dos Vysenia desejasse perder seu tempo cuidando da vida dos alunos, não teríamos muitas chances de privacidade, e também onde não haviam plantas, haviam câmeras do DOOM ou até mesmo outras formas de supervisão de outros professores. Algo na interpretação dela me soava demasiado paranoico e meramente teórica já que pelo jeito tudo o que ela havia falado surgiu de uma aparente dedução dela, a ruiva então se levantou e percebi ela colocando o gato na minha cabeça, até ali eu havia ignorado parte das coisas que aconteciam ao meu redor dando apenas uma nota mental sobre o pensamento dela em relação aos território dos Vysenia, então retirei o felino de cima do meu cabelo e o coloquei em meu colo, duvidas me fizeram temer pelo animal.

"Ele esta vivo? Ele é um ser? Existe algo nessa criatura que já viveu? Transforma-lo novamente num livro seria como mata-lo? Esse gato que agora existe tem quais genótipos? Ele é como essas pessoas ao meu redor ou apenas um reflexo do consciente da moça loira que crê que assim um gato parece e assim um gato age. E se apenas um reflexo ele é, o que o difere de um robô ou do que me tornei?"

As questões me causaram enjoo, me sentia péssimo pela possibilidade da Centurion tirar do animal a nova vida, mas isso era vida? O coloquei de lado no sofá, saber que a garota brincava com o "ser" das coisas me deixava meio perturbado e confuso, algo me dizia que ela nunca deveria ter cogitado em pensar a gravidade que poderia chegar as suas habilidades, e também, a gravidade que podia ser em fazer o caminho inverso, de uma criatura animada para um objeto inanimado e no fim das contas não quis me afeiçoar de modo algum ao animal.

Deixei todo o caso do gato para o lado quando notei que Luuk estava se saindo bem na socialização, brincava e pelo jeito estava se divertindo, querendo aprontar algumas coisa que eu não entendi muito bem e eu não iria impedi-lo, no entanto provavelmente não iria participar, havia buscado naquela noite a companhia dele e agora não sei ao certo para o que sirvo ali, eu também me sentia incomodado com mais de apenas uma coisa que acontecia não ali, mas muito além daquele lugar.

Apesar de toda aflição sentir a cabeça de Luuk repousar em meu ombro me acalmou, me fez recordar de onde de fato eu estava e que devia manter a calma, respirei fundo e novamente tentei relaxar no sofá acariciando o rosto do garoto de Amsterdã, até ai notar que a menina simpática e empolgada girava na mesa uma garrafa, sem entender muito o que era que estava acontecendo ali comecei a achar ser um tipo de "Verdade ou desafio."






Victor R. Nijinski
Victor R. Nijinski

Mensagens : 26
Moedas : 3057
Data de inscrição : 05/03/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Dan'Al Ghul em Qua Out 21, 2015 6:15 pm

Cada dia um 7x1 diferente
Uma batida legal tomava conta do ar enquanto eu chegava, minha sobrancelha se arqueada ao ver tanta gente, não estava acostumado a ver as torres tão cheias, apesar de ter pouco menos de uma dúzia de pessoas na sala.

Depois de chegar apenas Ayla me responde ser uma festa, com a boca fecha dou um gemido de entendimento. – Hum... – Depois de uma revirada de olhos eu ando direto para a geladeira procurando algo saboroso para comer.

Encontro uma lata de refrigerante, nada de mais, mas teria que dar, ando até a bancada, viro uma das cadeiras para o pessoal e me assento. Cruzo discretamente as pernas e bebo um pouco do refri.

Calado observando cada um na sala tento me ligar a Annath telepaticamente: “– Legal seus novos “amiguinhos”, não vai me apresentar pra eles? –” Tento disfarçar o elo com um bocejo prévio, a afronta a Annath não iria ficar em vão, reviro os olhos e foco minha atenção e Ayla.

Me aproximo da garota com índole duvidosa e pergunto. – O que cê tá fazendo? Posso fazer também? – Tento me manter o mais discreto e normal possível ao perguntar isso a ela.

Não os deixe entrar, não os deixe ver, Seja um bom menino que você sempre precisou ser
credits ‹›

Dan'Al Ghul
Dan'Al Ghul

Mensagens : 7
Moedas : 2607
Data de inscrição : 06/09/2015

Ficha do personagem
Nível: Epsilon
Grupo:
Raça: Sobrenatural

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Annath'Al Ghul em Qua Out 21, 2015 8:38 pm



Sorri com a proposta do garoto Centurion sobre o jogo, parecia que os Centurions tinham algo em comum além do gosto pelo vermelho.
A garota de cabelos rosa que se prontificou a ser a primeira, girou a garrafa a eu vi parar com o fundo virado para ela.
- Acho que vai ter que sacanear alguém dali, rosinha - falei cinicamente, observando Dan ir até a geladeira e depois voltar. Sentia minhas bochechas corando levemente, balancei a cabeça enquanto começava a ficar irritada comigo mesma "Maldita reação" pensava, tentando afastar qualquer sentimento ou pensamento que Dan pudesse captar pelo nosso elo.
Voltei a olhar para a menina rosa, esperando a sua reação ate que escutei a voz de Dan em minha mente " Amiguinhos ? Por favor... Não me confunda com a Ayla. " respondi mentalmente, sem desviar o olhar da garota rosa. Semicerrei os olhos ao ver Dan se aproximar de Ayla, eu odiava aquela proximidade, ah como odiava. Suspirava fundo tentando me controlar, enquanto isso, o gato que dormia tranquilamente ao lado do garoto transformava-se em livro, depois um gato, um rato, um cachorro e novamente um livro, em questões de segundos enquanto eu me controlava.

-  
""
Annath'Al Ghul
Annath'Al Ghul

Mensagens : 38
Moedas : 2695
Data de inscrição : 13/09/2015

Ficha do personagem
Nível: Eta
Grupo:
Raça: Sobrenatural

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Ayla Yakin em Sex Out 23, 2015 7:23 pm



Parecia que o pessoal faria um jogo... Não era exatamente fã de jogos, apesar de a grande maioria das pessoas que conhecem meu "verdadeiro" talento, acharem que eu teria uma propensão natural para jogos, principalmente os de azar, mas não:
- Ei, você fala francês... Falo para o garoto loiro (Luuk)... - Um dia desses vai ter que me ensinar...  :mulher04: Falo para ele, em tom de zuera.
Me sento em um dos bancos do balcão, observando o grupo que iria jogar, enquanto Dan também pegava algo na geladeira, e se sentava próximo a mim:
- Em algum momento, eu pretendo dormir... Mas primeiro preciso arranjar um lugar, não gosto da "acampamento" dos Vysenia...  :mulher03:   Respondo pra ele, na zuera sincera... - Mas se quiser arrumar um lugar pra mim na torre dos Bastilles, tô dentro...  :isa: Termino, vendo se conseguiria arranjar um lugar pra ficar aquela noite...
Presto atenção no jogo, vendo quem a menina do cabelo rosa (Roxette) iria sacanear:
- Preta atenção, que eles vão sacanear a galera... Vai participar do jogo? Pergunto pra ele, pensando se iria participar ou não...

-
""

Ayla Yakin
Ayla Yakin

Mensagens : 24
Moedas : 2675
Data de inscrição : 27/08/2015
Idade : 21
Localização : Nova York

Ficha do personagem
Nível: Delta
Grupo: Sem Grupo
Raça: Humanos

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Cave

Mensagem  Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum